domingo, 11 de dezembro de 2011

SOBRE A POSTAGEM ABAIXO...

Fiz questão de colocar na íntegra o excelente texto que li hoje na revista Metrópole escrito pela sempre elegante Cláudia Matarazzo...e ressaltar que se pelo menos uma pequena parcela das brasileiras tivesse uma opiniao semelhante a uma pessoa de bom gosto como ela, não veríamos pelas ruas tantas aberrações como temos visto...

A impressão que tenho hoje é que tudo que antigamente  era feio, malvisto, inadequado em matéria de moda hoje se tornou totalmente aceitável e até mesmo obrigatório: roupas rasgadas, com lavagens que imitam sujeiras e manchas, do avesso...

Ontem estava na praça de alimentação de um shopping em Campinas e passou por mim um casal, a moça grávida já em estado bem adiantado, vestindo uma legging que mal cobria a calcinha,já que logicamente ela deve ter engordado o bumbum e uma camiseta que ela ficava puxando pra baixo, que logicamente não acomodava seu barrigão imenso...
Não entendo o porque das grávidas hoje insistirem em continuarem usando as mesmas roupas que usavam antes da gravidez, que não lhes serve mais. Porque não usar roupas mais confortáveis e soltas, adaptadas à nova condição?
Com isso vemos um verdadeiro festival de mau gosto, onde todos os dias nos deparamos com barrigas enormes, cheias de marcas que não deveriam estar a vista de todos...




E falando em shopping, outra coisa me vem à mente... sempre vejo muitas pessoas bem vestidas, bem arrumadas, adequadas a ocasião, mas em compensação sempre tem outras que parecem não ter espelhos em casa, nem ninguém que lhes de um toque que aquela roupa está horrivel!

Também parece que as pessoas hoje em dia não sabem dizer não aos modismos... como bem citou a Cláudia ao falar que macacões só ficam bem em mulheres com mais de 1,70 m e menos de 60 kg!

 É só pra quem pode!


Me lembro que foi com grande alívio que vi decretada o FIM da moda das calças de cós baixo! Era um horror, onde íamos nos deparavamos com mulheres com cofrinhos a mostra, e muitas ocasiões aquilo até mexeu com meu apetite... pois quem consegue comer tranquilo num restaurante tendo a sua frente uma mulher sentada com metade do bumbum de fora?
E o pior que a maioria não tinha corpo condizente para usar aquilo... calça de cós baixissimo só para algumas privilegiadas de corpo, que podem...

Como isso pode ser considerado sexy? é muito feio! e extremamente vulgar!




Outra aberração dos últimos tempos é a calça saruel... Dizem que é calça mais democrática de todas, pois consegue enfeiar a todas mulheres, sem distinção!
 Concordo inteiramente, pois nunca vi uma mulher que ficasse elegante ou pelo menos bem vestida com uma peça horrivel daquelas no corpo... para alguma que dei minha opinião sobre o assunto, me disse que o conforto era a prioridade... e será que não dá pra conciliar conforto com beleza?
só conforto com feiura que pode?

Ícone de deselegância:






Tenho até medo de pensar nas próximas aberrações que serão enfiadas goela abaixo do povo, e o povo aceita sem o mínimo questionamento...

Elegância é como caráter... quem tem, tem... quem não tem... pelo menos no caso da elegância pode tentar mudar...e se inteirar do assunto...

"E PRA VOCÊ, O QUE É ESSENCIAL?"

"O verão ainda nem chegou e já vemos nas revistas femininas centenas de editoriais de moda para ajudar as leitoras a organizarem seu guarda-roupa para o calor.
E não dá outra: em pouco tempo, as mulheres começam a paerceber que não podem ficar sem "aquela peça básica", que é essencial em funciona em qualquer hora do dia. Calma, meninas!
Ainda estamos no final do ano, muitas liquidações acontecerão em poucas semanas e não vale a pena comprar no impulso.
Dia desses, vi uma revista que apregoava que as três peças obrigatórias da estação serão macacão, camisa de seda e saia longa. Será mesmo? Obrigatórias pra quem? Ora, macacão não é pra qualquer uma (experimente olhar-se de costas). Poucas mulheres com menos de 1,70 e mais de 60 quilos resistem.
Nem usando sandália alta que, vamos combinar, no calorão do alto verão e com as tiras apertando os dedinhos não é o ideal.
A camisa de seda é linda, mas não é para qualquer bolso. Com tanta roupa em cambraia, algodão e lindas chitas nas lojas, pense bem antes de investir uma nota numa peça assim. Pessoalmente acho um show. Mas, quando chega o calor, adoro ousr com itens mais tropicais e divertidos.
A tal da saia longa é uma grande pedida, mas tem que ter caimento reto para não ficarmos parecendo velas de barco ambulantes, salvo as magrinhas e altas. Caftãs e similares também entraram com tudo no imaginário dos estilistas e invadiram as vitrines, um reflexo da primavera árabe noticiada no mundo inteiro Assim, muita gente acha que basta vestir uma túnica larga, colorida e com barra trabalhada e sair para a vida.
Realmente, alguns caftãs são irresistiveis. São feitos de tecidos superfnios e exibem cores alegres e estampas elaboradas que remetem a Sherazade, aquela das mil e uma noites. Além do mais, são bastante confortáveis. Só é preciso lembrar que são peças para se usar em casa, na praia ou à beria da píscina, não para trabalhar.
O mesmo vale para os pítons, a boa e vbelha estampa de cobra rebatizada. Já há pítons em todas as versões e em todos os ítens: bolsas turquesa, blusas salmão, vestidos verde-água.
Menos, gente!
Se é para usar cor nesse tipo de estampa, que seja em acessórios, em detalhes. Para os tecidos,o tom mais elegante continua sendo o mais próximo das cobras originais - ou seja, o cinza, eventualmente mais azulado ou com toques de verde.
Coletes e boleros ganharam novas leituras e voltaram em tecidos molinhos, rendas e tons naturais. Tudo lindo, mas é bom lembrar que não funcionam para quem está acima do peso nem para quem tem seios grandes.
Pois é. Adaptar a moda e conciliá-la com seu estilo é uma virtude das pessoas realmente elegantes. Porém, ainda mais importante é questionar a indústria da moda e não embarcar em todas as tendências malucas que nos apresentam. Finalmente, como libanesa que sou, adoro esperar uma boa liquidaação.Só assim a poeira terá assentado e terei certeza se aquela peça era mesmo básica, essencial e indispensável para mim."

Cláudia Matarazzo na revista Metrópole de 11/12/11 pagina 12

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

AMANHÃ É MEU NIVER DE CASAMENTO! 27 ANOS JUNTOS...

27 anos juntos... uma vida...

uma vida de batalhas diárias, de tempos de dureza, de dificuldades, de necessidades...
uma vida onde também nunca faltou companheirismo, cumplicidade, afinidade...
uma vida que rimos e choramos juntos...
uma vida que vimos os filhos nascerem e nos alegramos muito...
uma vida que nos consolamos nas horas de desespero...
uma vida que rimos de coisinhas tolas e bobas como dois tontos...
uma vida que muitas vezes achamos que não iriamos conseguir levar adiante...
uma vida onde muitas reconciliações, muitos perdões e muitas pazes foram feitas...
uma vida que procuramos sempre andar de ombro a ombro, nunca um na frente do outro...
uma vida que sempre foi avaliada se valia a pena continuar, e sempre valeu!
uma vida que o amor maior supera tudo e todos...
uma vida que Deus aprovou e abençoou...

e por tudo isso e muito mais coisas que nem caberiam escreve-las todas aqui, vivemos estes 27 anos juntos...
e tenho certeza que nós dois queremos viver muitas vezes esses 27 anos juntos...
até a eternidade!



NOSSO CASAMENTO - 1984




NOSSAS BODAS DE PRATA - 2009



MEU NIVER FOI SHOW!!!! 4.5 COM TODO PIQUE...

Na ultima sexta-feira fiz aniversário e meu esposo em cima da hora quis fazer um "churrasquinho na laje" no sábado pra comemorarmos...
Falou pra eu convidar minhas amigas...em cima da hora sei que é dificil, muitos já tem seus compromissos, mas resolvi assim mesmo arriscar... E não é que deu mais que certo???
Convidei as amigas mais chegadas e quase todas vieram... de todas só 2 faltaram...
 Um dia antes ainda resolvi dar uma enfeitada na área da churrasqueira e costurei cortinas, toalha de mesa, capa de bujão, toalhinhas, panos de prato pra dar uma alegrada no ambiente, e por ser um trabalho de ultima hora ficou lindo!
No dia  pus mãos a obra e fiz algumas saladas e maioneses... e foi assim numa festinha simples e rodeada de pessoas muito queridas e especiais que comemorei idade nova!

Deus é bom e muito maravilhoso na minha vida!

Nunca pensei que chegaria aos 45 anos tão bem, tão disposta, tão feliz!
Lembro-me que quando era criança/mocinha as mulheres dessa idade eram senhoras tão "acabadinhas" rsrs

Tenho pique, tenho ânimo que muitas pessoas até bem mais novas não tem...
Tenho vontade de viver, de aprender ainda muitas coisas, de ser produtiva, de ser útil...

Recentemente vi algumas reportagens de idosos que mostram que não há data de validade pra se aprender algo novo...
Uma senhorinha de 100 anos saltou de paraquedas pela primeira vez, adorou e quer repetir...
Uma outra senhorinha de mais de 90 anos foi pra escola aprender a ler e escrever, se empolgou e está terminando o supletivo e sonhando em fazer uma faculdade...
Um senhorzinho de 81 anos tirou carta de motorista pela primeira vez!

Isso é uma grande lição de vida!

Pessoas assim nos mostram que ninguém precisa sentar e esperar a morte chegar só porque a idade chegou...
Que enquanto há sopro de vida, pode sim ser útil, produtivo...

Eu quero ser assim... uma velhinha de cabeça boa, de saude boa, pra curtir a vida o melhor que eu puder até o finalzinho!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

PROTEJA SEU CASAMENTO





Introdução
 
. Muitas vezes um casamento vai bem, e acaba abalado por causa de um relacionamento inesperado com uma terceira pessoa.

. Começa de maneira inocente e agradável, torna-se casa vez mais envolvente. Por fim, traz complicações e desgraças para muita gente.

. Não foi um acidente ou “um grande amor que surgiu”. Foi um relacionamento do qual o casamento deveria ter sido protegido.

. Não seja ingênuo, pensando que isto só acontece com os outros. Muita gente boa já caiu exatamente por ser ingênua assim. Lembre-se de 1 Cor 10:12.

. Por isso, proteja seu casamento ...Eis algumas dicas:
 
1 – Tenha Bom Senso com Suas Companhias
 
. Evite gastar tempo desnecessário com alguém do sexo oposto. Muitos casos surgem por não se agir assim. Um executivo precisa de aulas particulares de inglês, e contrata uma jovem professora. Contrate um homem. Não significa que cada contato com alguém do sexo oposto seja porta para adultério. Significa evitar oportunidades para cair. Companhia contínua cria intimidades. Intimidade com o sexo oposto traz problemas.
 
2 – Tenha cuidado com Confidências
 
. A pessoa mais intima de alguém deve ser seu cônjuge. Segunda a Bíblia, são “uma só carne”, isto é, é uma só pessoa. Se há aspectos de seu relacionamento que você não pode compartilhar com sua esposa (o) e compartilha com alguém do sexo oposto, a coisa está ruim.
. As pessoas tendem a se solidarizar com quem sofre, e a proximidade emocional se torna perigosa.
Um homem que  se queixa de sua esposa para outra mulher está traçando um caminho perigoso.
. Isto vale para quem faz e para quem ouve confidências.
 
3 – Evite momentos a sós
 
. Decida não ter momentos privados com alguém do sexo oposto. Se um(a) colega de trabalho pedir para  ter um almoço com você, convide uma terceira pessoa. Se necessário, não se constranja em compartilhar os limites que você e seu cônjuge concordaram ter no seu casamento. É melhor ser visto como rude que vir a cair em pecado.
 
4. Vigie seus pensamentos
 
. Cuidado com o que pensa. Se você só se detém nos defeitos de seu cônjuge, qualquer outro homem ou mulher parecerá melhor. Faça uma lista das coisas que inicialmente lhe atraíram em seu cônjuge. Aumente o positivo e diminua o negativo.
. Evite filmes, conversas, site e literatura que apologizam o adultério. Lembre de Colossenses 3:2.
 
5 – Evite comparações
 
. Um homem trabalha com uma mulher perfumada, maquiada, bem vestida. Em casa encontra a esposa, com criança no colo,cabelo desfeito, banho por tomar.
. Uma mulher encontra um homem compreensivo com quem pode se abrir, e se sente mais à vontade com ele que com o esposo.
. Ignoraram situações e contextos diferentes. Foram iludidos pelo irreal. Lembre do prodígio: o mundo lhe era fascinante, mas terminou num chiqueiro. As aparências iludem, porque o mundo em que vivemos em casa é o real. O mundo de relacionamentos fora de casa é sempre artificial.
 
6. Evite a Síndrome do Retorno
 
. É a ideia de que a vida sentimental e sexual caiu na rotina, e agora a pessoa renasceu.
. Já vi inúmeros casos assim: “Eu renasci”, ou “eu me senti jovem, de novo”. Não banque o adolescente. Você é um adulto com responsabilidades e com uma pessoa com quem partilha a vida. Construa sua vida com seu Cônjuge.
. Se sua vida conjugal se “fossilizou” há outros caminhos. Revigore-a com seu conjuge. Há pessoas que sempre se fossilizam e pulam de relacionamento em relacionamento, procurando o que não produzem. Temos o que produzimos.
 
7. Ponha Seu Coração no Seu Lar
 
. A solidez do casamento vem pelo tempo que os cônjuges gastam juntos. Conversas, risos, passeios, programas comuns. Se você não sai com seu cônjuge, marque datas para os próximos meses. Vocês devem ter um ao outro como o melhor companheiro. Mantenham o clima de namoro: querer estar junto com a pessoa.
. Orem juntos. Dificilmente duas pessoas que oram juntas brigarão entre si. Sejam parceiros espirituais.
 
8 – Invista No Seu Cônjuge.
 
. O marido da mulher virtuosa é conhecido quando se levanta em público (Prov. 31:23). A  idéia é que ele está bem vestido e se vê o carater dela pela roupa dele.
. Uma boa esposa é um tesouro (Prov. 18:22). Do bom tesouro, cuida-se, e evita-se perdê-lo.
.Marido: mulher bem tratada é um grande investimento. O retorno emocional é garantido.
. Mulher: marido bem tratado é um grande investimento. O retorno emocional é garantido.
 
9 – Busque Ajuda
 
. Havendo problemas, busque ajuda. Primeiro em Deus. Lembre-se de Tiago 1:5.
. Busque orientação de pessoas mais experientes ou de seu líder espiritual. Evite que o problema se avolume.
. Evite conselhos de gente que não tem o que dizer. Os amigos de Roboão lhe deram maus conselhos (1Reis 12:6-12). Nessa busca por ajuda evite por mais lenha na fogueira.
. Evite também a raiz da amargura (Hebreus 12:15). Busque ajuda e não um juiz a seu favor.
 
Conclusão:
 
. Bons casamentos não acontecem por acaso. São produto de muito trabalho e da graça de Deus.
. Boa parte do trabalho é investimento emocional no relacionamento conjugal. Mas investir sem proteger é problemático. É preciso levantar cercas contra os problemas externos, porque os internos são mais vistos e os dois os vivenciam. Não permita brechas. 


Ótimo texto que me enviaram e compartilho!  Vamos orar e vigiar! Quem ama cuida!

quinta-feira, 31 de março de 2011

MAIS POEMAS...

NATAL NA BARCA (LYGIA FAGUNDES TELES)


Não quero nem devo lembrar aqui por que me encontrava naquela barca. Só sei que em redor tudo era silêncio e treva. E que me sentia bem naquela solidão. Na embarcação desconfortável, tosca, apenas quatro passageiros. Uma lanterna nos iluminava com sua luz vacilante: um velho, uma mulher com uma criança e eu.
O velho, um bêbado esfarrapado, deitara-se de comprido no banco, dirigira palavras amenas a um vizinho invisível e agora dormia. A mulher estava sentada entre nós, apertando nos braços a criança enrolada em panos. Era uma mulher jovem e pálida. O longo manto escuro que lhe cobria a cabeça dava-lhe o aspecto de uma figura antiga.
Pensei em falar-lhe assim que entrei na barca. Mas já devíamos estar quase no fim da viagem e até aquele instante não me ocorrera dizer-lhe qualquer palavra. Nem combinava mesmo com uma barca tão despojada, tão sem artifícios, a ociosidade de um diálogo. Estávamos sós. E o melhor ainda era não fazer nada, não dizer nada, apenas olhar o sulco negro que a embarcação ia fazendo no rio.
Debrucei-me na grade de madeira carcomida. Acendi um cigarro. Ali estávamos os quatro, silenciosos como mortos num antigo barco de mortos deslizando na escuridão. Contudo, estávamos vivos. E era Natal.
A caixa de fósforos escapou-me das mãos e quase resvalou para o. rio. Agachei-me para apanhá-la. Sentindo então alguns respingos no rosto, inclinei-me mais até mergulhar as pontas dos dedos na água.
— Tão gelada — estranhei, enxugando a mão.
— Mas de manhã é quente.
Voltei-me para a mulher que embalava a criança e me observava com um meio sorriso. Sentei-me no banco ao seu lado. Tinha belos olhos claros, extraordinariamente brilhantes. Reparei que suas roupas (pobres roupas puídas) tinham muito caráter, revestidas de uma certa dignidade.
— De manhã esse rio é quente — insistiu ela, me encarando.
— Quente?
— Quente e verde, tão verde que a primeira vez que lavei nele uma peça de roupa pensei que a roupa fosse sair esverdeada. É a primeira vez que vem por estas bandas?
Desviei o olhar para o chão de largas tábuas gastas. E respondi com uma outra pergunta:
— Mas a senhora mora aqui perto?
— Em Lucena. Já tomei esta barca não sei quantas vezes, mas não esperava que justamente hoje...
A criança agitou-se, choramingando. A mulher apertou-a mais contra o peito. Cobriu-lhe a cabeça com o xale e pôs-se a niná-la com um brando movimento de cadeira de balanço. Suas mãos destacavam-se exaltadas sobre o xale preto, mas o rosto era sereno.
— Seu filho?
— É. Está doente, vou ao especialista, o farmacêutico de Lucena achou que eu devia ver um médico hoje mesmo. Ainda ontem ele estava bem mas piorou de repente. Uma febre, só febre... Mas Deus não vai me abandonar.
— É o caçula?
Levantou a cabeça com energia. O queixo agudo era altivo mas o olhar tinha a expressão doce.
— É o único. O meu primeiro morreu o ano passado. Subiu no muro, estava brincando de mágico quando de repente avisou, vou voar! E atirou-se. A queda não foi grande, o muro não era alto, mas caiu de tal jeito... Tinha pouco mais de quatro anos.
Joguei o cigarro na direção do rio e o toco bateu na grade, voltou e veio rolando aceso pelo chão. Alcancei-o com a ponta do sapato e fiquei a esfregá-lo devagar. Era preciso desviar o assunto para aquele filho que estava ali, doente, embora. Mas vivo.
— E esse? Que idade tem?
— Vai completar um ano. — E, noutro tom, inclinando a cabeça para o ombro: — Era um menino tão alegre. Tinha verdadeira mania com mágicas. Claro que não saía nada, mas era muito engraçado... A última mágica que fez foi perfeita, vou voar! disse abrindo os braços. E voou.
Levantei-me. Eu queria ficar só naquela noite, sem lembranças, sem piedade. Mas os laços (os tais laços humanos) já ameaçavam me envolver. Conseguira evitá-los até aquele instante. E agora não tinha forças para rompê-los.
— Seu marido está à sua espera?
— Meu marido me abandonou.
Sentei-me e tive vontade de rir. Incrível. Fora uma loucura fazer a primeira pergunta porque agora não podia mais parar, ah! aquele sistema dos vasos comunicantes.
— Há muito tempo? Que seu marido...
— Faz uns seis meses. Vivíamos tão bem, mas tão bem. Foi quando ele encontrou por acaso essa antiga namorada, me falou nela fazendo uma brincadeira, a Bila enfeiou, sabe que de nós dois fui eu que acabei ficando mais bonito? Não tocou mais no assunto. Uma manhã ele se levantou como todas as manhãs, tomou café, leu o jornal, brincou com o menino e foi trabalhar. Antes de sair ainda fez assim com a mão, eu estava na cozinha lavando a louça e ele me deu um adeus através da tela de arame da porta, me lembro até que eu quis abrir a porta, não gosto de ver ninguém falar comigo com aquela tela no meio... Mas eu estava com a mão molhada. Recebi a carta de tardinha, ele mandou uma carta. Fui morar com minha mãe numa casa que alugamos perto da minha escolinha. Sou professora.
Olhei as nuvens tumultuadas que corriam na mesma direção do rio. Incrível. Ia contando as sucessivas desgraças com tamanha calma, num tom de quem relata fatos sem ter realmente participado deles. Como se não bastasse a pobreza que espiava pelos remendos da sua roupa, perdera o filhinho, o marido, via pairar uma sombra sobre o segundo filho que ninava nos braços. E ali estava sem a menor revolta, confiante. Apatia? Não, não podiam ser de uma apática aqueles olhos vivíssimos, aquelas mãos enérgicas. Inconsciência? Uma certa irritação me fez andar.
— A senhora é conformada.
— Tenho fé, dona. Deus nunca me abandonou.
— Deus — repeti vagamente.
— A senhora não acredita em Deus?
— Acredito — murmurei. E ao ouvir o som débil da minha afirmativa, sem saber por quê, perturbei-me. Agora entendia. Aí estava o segredo daquela segurança, daquela calma. Era a tal fé que removia montanhas...
Ela mudou a posição da criança, passando-a do ombro direito para o esquerdo. E começou com voz quente de paixão:
— Foi logo depois da morte do meu menino. Acordei uma noite tão desesperada que saí pela rua afora, enfiei um casaco e saí descalça e chorando feito louca, chamando por ele! Sentei num banco do jardim onde toda tarde ele ia brincar. E fiquei pedindo, pedindo com tamanha força, que ele, que gostava tanto de mágica, fizesse essa mágica de me aparecer só mais uma vez, não precisava ficar, se mostrasse só um instante, ao menos mais uma vez, só mais uma! Quando fiquei sem lágrimas, encostei a cabeça no banco e não sei como dormi. Então sonhei e no sonho Deus me apareceu, quer dizer, senti que ele pegava na minha mão com sua mão de luz. E vi o meu menino brincando com o Menino Jesus no jardim do Paraíso. Assim que ele me viu, parou de brincar e veio rindo ao meu encontro e me beijou tanto, tanto... Era tamanha sua alegria que acordei rindo também, com o sol batendo em mim.
Fiquei sem saber o que dizer. Esbocei um gesto e em seguida, apenas para fazer alguma coisa, levantei a ponta do xale que cobria a cabeça da criança. Deixei cair o xale novamente e voltei-me para o rio. O menino estava morto. Entrelacei as mãos para dominar o tremor que me sacudiu. Estava morto. A mãe continuava a niná-lo, apertando-o contra o peito. Mas ele estava morto.
Debrucei-me na grade da barca e respirei penosamente: era como se estivesse mergulhada até o pescoço naquela água. Senti que a mulher se agitou atrás de mim
— Estamos chegando — anunciou.
Apanhei depressa minha pasta. O importante agora era sair, fugir antes que ela descobrisse, correr para longe daquele horror. Diminuindo a marcha, a barca fazia uma larga curva antes de atracar. O bilheteiro apareceu e pôs-se a sacudir o velho que dormia:
- Chegamos!... Ei! chegamos!
Aproximei-me evitando encará-la.
— Acho melhor nos despedirmos aqui — disse atropeladamente, estendendo a mão.
Ela pareceu não notar meu gesto. Levantou-se e fez um movimento como se fosse apanhar a sacola. Ajudei-a, mas ao invés de apanhar a sacola que lhe estendi, antes mesmo que eu pudesse impedi-lo, afastou o xale que cobria a cabeça do filho.
— Acordou o dorminhoco! E olha aí, deve estar agora sem nenhuma febre.
— Acordou?!
Ela sorriu:
— Veja...
Inclinei-me. A criança abrira os olhos — aqueles olhos que eu vira cerrados tão definitivamente. E bocejava, esfregando a mãozinha na face corada. Fiquei olhando sem conseguir falar.
— Então, bom Natal! — disse ela, enfiando a sacola no braço.
Sob o manto preto, de pontas cruzadas e atiradas para trás, seu rosto resplandecia. Apertei-lhe a mão vigorosa e acompanhei-a com o olhar até que ela desapareceu na noite.
Conduzido pelo bilheteiro, o velho passou por mim retomando seu afetuoso diálogo com o vizinho invisível. Saí por último da barca. Duas vezes voltei-me ainda para ver o rio. E pude imaginá-lo como seria de manhã cedo: verde e quente. Verde e quente.

POEMAS QUE MARCARAM MINHA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA...

SÃO FRANCISCO (VINICIUS DE MORAES/PAULO SOLEDADE)

Lá vai São Francisco
Pelo caminho
De pé descalço
Tão pobrezinho
Dormindo à noite
Junto ao moinho
Bebendo a água
Do ribeirinho.
Lá vai São Francisco
De pé no chão
Levando nada
No seu surrão
Dizendo ao vento
Bom dia amigo
Dizendo ao fogo
Saúde irmão.
Lá vai São Francisco
Pelo caminho
Levando ao colo
Jesuscristinho
Fazendo festa
No menininho
Contando histórias
Pros passarinhos.
Lá vai São Francisco
Pelo caminho.

O BICHO (MANUEL BANDEIRA)

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

 QUADRILHA (CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

BOM DIA!!! HOJE VIM ATUALIZAR MEU BLOG...



Há tempos venho fazendo minhas anotações para postagens, amadurecendo idéias, e deixava como rascunho, as vezes eu passava, corrigia alguma coisa, acrescentava outras, tirava alguma coisa que não achava que tava bom...

Hoje com um pouco mais de tempo, aproveitei pra postar o que achei que já estava bom, e deixei mais pra frente o que ainda precisa de ajustes...

Assim como na vida, vamos corrigindo as imperfeições...

Fico feliz que você entre, leia e se identifique com alguma coisa...

Abraços afetuosos a todos que me visitarem no blog



Pra vc flores com carinho!

PERMISSÃO





Muitas vezes, pensamos com nossos botões: porque tinha de acontecer isso ou aquilo, ou aquilo outro???

Muitas da vezes, tinha de acontecer para nosso crescimento pessoal e espiritual.

Mas muitas das vezes também acontece porque nós mesmos demos a permissão.

Se alguém nos magoa, nos agride, nos humilha, é porque demos permissão a essa pessoa para agir assim.

Porque se soubermos nos colocar no nosso lugar devido e colocar quem nos maltrata em seu lugar, não permitiremos que isso nos afete.

Se a esposa permite que o esposo a trate como uma escrava ou empregada, não adianta depois reclamar, ela  em primeiro lugar tem que se colocar como esposa, e exigir do esposo respeito, amor e dedicação.
Do mesmo modo acontece no trabalho, na escola, nas amizades e em todas as esferas da vida...

Se a pessoa não se ama em primeiro lugar ela não conseguirá com que os outros a amem.
Pq ela se menospreza, se rebaixa, se ve inferior as outras pessoas...
E como ela se vê, é essa imagem que ela passará para os outros...

Mas a que se ama, se respeita, se valoriza, passará essa imagem as demais pessoas e é assim que a tratarão.

Então, depende de cada um de nós como as pessoas nos tratarão.

E quando percebemos que alguma coisa não está nos contentando, cabe a nós mudar o rumo de nossa vida, e mudar o que nos aborrece.

Cabe a vc tirar a permissão que vc deu na mão de outras pesssoas.

Tente, vc consegue! Eu tentei, eu consegui, eu mudei o rumo de minha vida!

PAGANDO OS CARNÊS



Um dia, há muitos anos atrás, conversando com uma sábia amiga ela me disse:
- Sabe, tudo que todas as pessoas fazem é anotado. O que se faz de bom é anotado para lá na frente haver o pagamento.  Do mesmo modo o que se faz de mal,  é anotado, e de vez em quando, é como se fosse um carnê para ser pago, o que se fez é cobrado.
As vezes vemos uma pessoa passando por isso ou aquilo, e não entendemos muitas vezes os porques de muitas coisas...são os carnês que ela está pagando.

Nossa, meditei tanto sobre isso, e vi que tem muito de verdade!

E esses carnês não são pagos com nenhum tipo de dinheiro ou cartão de crédito, nem com ouro ou prata, nem com as mais preciosas das pedras...

Se ninguém antes de dar o último suspiro fica devendo nada por aqui, então tem muita gente que tem pilhas de carnês pra pagar, e tem outros que pagam pilhas e pilhas e nunca pagam a conta.
E existem ainda os que tem muito a receber pelo bem que fizeram na vida...

Eu também acredito que quando há adversidades na vida, é para amadurecimento da pessoa.
E que quando a pessoa passa perto da morte, é uma segunda chance que ela tem que voltar e fazer a coisa melhor do que antes.
Eu mesma tive uma embolia, fui parar na UTI entubada, e hoje eu vivo cada dia como se fosse o último, intensamente!
Mas bem poucos pensam como eu... A maioria depois de ter uma segunda chance, se esquece da chance que recebeu e vive a vida pior do que antes.
Quantos com câncer, acidentes, doenças sérias tiveram uma segunda chance e a estão desperdiçando.
É uma pena, pois muitos que não tiveram essa segunda chance, talvez se a tivessem aproveitariam melhor.
Quantos que após passarem pertinho da morte, se esqueceram do que poderia ter lhes acontecido e assim como Faraó, endurecem seu coração...
Mas talvez seja porque seus carnês ainda não foram pagos.
E muitos até mesmo pagando os carnês não alcançarão o bem maior.
E outros nem pagam os carnês porque do mesmo modo não alcançarão esse bem maior.

Só Deus é que sabe o que o fim reserva a cada um... mas Ele deixou através de seu filho a receita pra se alcançar um final feliz... é só ler e seguir a receita o melhor que puder...

Feliz do que em vez de nome nos carnes a pagar para Deus , tem o nome escrito no Livro da Vida!
Porque esse Livro ninguem tem o poder de apagar, só Deus que escreve nele!

VAIDADE...




O que é vaidade?
Como pode ser definida a vaidade???
Como e onde é a linha que separa onde termina a vaidade e começa o excesso?
O que para muitos é vaidade, para outros é necessidade...
O que para muitos é vaidade, para outros é questão de higiene...

E existem tantas formas de vaidade que as pessoas nem se dão conta...
Existe vaidade no corpo, existe vaidade no proceder, existe vaidade no pensamento, existe vaidade no falar...
e de outras infinitas maneiras...

Muitos que se acham os mais livres da vaidade no seu corpo, são mais vaidosos que muitos, pois se enaltecem a si mesmos: eu não faço isso, eu não faço aquilo... e dizem de si mesmos: sou mais santo do que os demais...
Os que não fazem isso ou aquilo, ou não tem isso ou aquilo, por quererem ser melhores do que os outros...
isso também é vaidade! e presunção! e soberba!


Ou totalmente ao contrário aquele ou aquela que precisa que a sua roupa, seu carro, sua casa, seu filho ou sua vida seja melhor de todos, também é vaidoso...

Quando alguem se coloca acima de outros, está sendo vaidoso! E presunçoso, soberbo...

A prudência, a sabedoria, o entendimento e o bom senso são as bússolas que deveriam nortear a vida de todos...

Fazer uma criança de 10 anos se vestir e se pentear como uma velha de 80 anos não é modéstia, é falta de bom senso... e constranger a criança a padrões que há muito cairam em desuso... essa criança certamente sofrerá com as piadinhas e deboches dos coleguinhas na escola...
Logicamente que não se deve ir de um extremo a outro, pois hoje o que se vê são meninas com roupas totalmente inadequadas, em nome de uma moda que as escraviza e as faz se tornarem mini-adultos, crianças com roupas levianas, com partes do corpo que deveriam estar ocultas totalmente a mostra...
Nem 8 nem 80, mas o bom senso deve imperar...


Joia é vaidade?
Roupa é vaidade?
Sapato, bolsa é vaidade?
Carro ultimo tipo é vaidade?
Uma bela mansão é vaidade?
Depende de quem tem e como usa...
Se usar normalmente, não é vaidade...
Mas alguns abusam e querem mesmo é mostrar, aparecer... E se mostrar não é vaidade???

Não podemos nos tornar escravos da vaidade, viver em função disso...
Mas também não podemos nos descuidar e relaxar, devemos ter cuidado e zelo com nosso corpo, pois nosso corpo é a morada de Deus, e Ele por certo gosta de morar numa casa bela, bem cuidada...
Então que tudo seja com sabedoria e entendimento!

Se cuidar e zelar pelo corpo é vaidade??? Para mim não!

Muito se diz a respeito de vaidade, mas como delinear o limite???


Vaidade de vaidades! diz o pregador, vaidade de vaidades! é tudo vaidade.
Eclesiaste 1:2

QUE DELICIA SER AVÓ!




Ai, como eu amo ser avó!
Que delicia é minha neta...
Uma das coisas que meu coração muito almejava era ver um filho dos meus filhos, e Deus tem me dado a grata satisfação e o privilégio de poder alcançar isso...
Como é maravilhoso ver o sorriso de uma criança linda que é nossa 2ª geraçãoe tbm parte de nós!
Sou plenamente satisfeita e imensamente feliz com esse grande presente que Deus me deu: minha querida neta
Só quem já passou pela doce experiência de ser avó pra entender do que estou falando...

quinta-feira, 24 de março de 2011

SOU MULHER A MODA ANTIGA

 
 
 
Numa boa, essa conversa de igualdade de sexos não é pra mim. Podem chamar de retrógrada, alienada ou simplesmente de atrasada, mas ainda acho que homem é homem e mulher é mulher. Defendo a igualdade de direitos, mas nunca a igualdade de sexos. Admito sem problema algum que sou frágil, quero cuidado e proteção de um representante do sexo oposto, me reconheço incapaz de realizar certas atividades tipicamente masculinas, como abrir vidro de conserva, exercer os ofícios de pedreiro e estivador, andar sem camisa em dias de calor e fazer xixi em pé. Aceito humildemente minha inabilidade com raciocínio lógico, a capacidade de me perder a duas quadras de minha casa e a dificuldade homérica em lembrar de um percurso antes de percorrê-lo, pelo menos umas cinqüenta vezes.

Não sou nem quero ser igual a homem algum. Como mulher, já tenho problemas e encargos suficientes, não quero somar a estes os que viriam com essa tal igualdade.

Imagine se depois de sofrer horrores na manicure, de ter um pedaço da alma esfacelado a cada puxada de cera quente em lugares delicados e de difícil acesso, de suportar horas em um salto alto e envergar com garbo e elegância um vestido que faz morrer de frio, depois de ter passando metade do dia brigando com o cabelo para que ele finalmente fique do jeito que gosto, depois de ter despendido meia hora fazendo a maquiagem que pouco tempo depois irei levar mais meia hora pra tirar e depois de tudo isso ainda ter que rachar ou pagar ou a conta. Desculpa, eu não sou masoquista!

Eu mereço contas pagas, portas abertas, cadeiras puxadas, flores, presentes, dengos, mimos e cada elogio. Eu sou sexo frágil!

Gosto da diferença, da completude, dessa coisa caramelo meio a meio, não acho bacana mulher macho, durona e sisuda que, infelizmente está contribuindo para o desaparecimento do cavalheirismo, não existe cavalheiro sem dama. Assim como também não curto essa onda de (kilo) metrossexual, não digo que o homem seja um ogro, mas depilar a virilha já é muita informação pra mim. Onde fica a ancestral sensação de pelo na pele? Sério mesmo, em um relacionamento quem usa maquiagem e desenha sobrancelha sou eu. Não me imagino disputando o hidratante para pele sensível com um namorado ou marido.

Eu posso me virar sozinha e cuidar de mim mesma. Posso, mas não quero!

Que fique claro, não estou aqui defendo a inferiorização da mulher nem a supervalorização do homem. Ser feminina, frágil, delicada, sim. Mas não apenas isso. Podemos garotas, conquistar nosso lugar ao sol, ou a chuva de acordo com nossas vontades, podemos exercer cargos de chefia ou qualquer outro e, para tantos temos competência de sobra, o que não podemos é, por conta disso perdermos a leveza e a boniteza de ser mulher. Deixar o encantamento do sorriso e leve balanço no caminhar. Mostrar que temos a mesma competência que os homens não significa que devemos nos masculinizar. O que eu não quero é perder minha graça. O ideal é poder fazer o que quero e gosto, conquistar meu espaço e respeito e o mais importante, usando salto.


Lindo texto tirado da net



terça-feira, 8 de março de 2011

FELIZ DIA DA MULHER!





Mulher...
Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas
Para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha o mundo com sua coragem
Que traz paixão no olhar
Mulher,
Que luta pelos seus ideais,
Que dá a vida pela sua família
Mulher
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço
Mulher,
Que chora e que ri
Mulher que sonha...
Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas,
Cheias de mistérios e encanto!
Mulheres que deveriam ser lembradas,
amadas, admiradas todos os dias...

Para você, Mulher tão especial...
Feliz Dia Internacional da Mulher!

(Anônimo)

domingo, 27 de fevereiro de 2011

QUIIDO PAPAI DO CÉU:



(Que Deus ouça a petição das criancinha inocentes!)

COISAS QUE APRENDI COM MINHA MÃE: (rsrsrs)



"MÃE É UMA SÓ"

(PORQUE MAIS DE UMA NINGUÉM AGUENTARIA! RSRSRS)

COMO VIVER BEM A VIDA EM 45 LIÇÕES:

 
 
 
 
 
Para celebrar o envelhecer, uma vez eu escrevi 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais requisitada que eu já escrevi. O meu taxímetro chegou aos 90 em Agosto, então aqui está a coluna mais uma vez:

 1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
 2. Quando estiveres em dúvida, apenas dá o próximo pequeno passo.
 3. A vida é muito curta para perdermos tempo a odiar alguém.
 4. O teu trabalho não vai cuidar de ti quando adoeceres. Os teus pais e amigos vão. Mantém o contato.
 5. Paga as tuas facturas do cartão de crédito todos os meses.
 6. Tu não tens que vencer todos os argumentos. Concorda para discordar.
 7. Chora com alguém. É mais curativo do que chorar sozinho.
 8. Está tudo bem se ficares chateado. Deus te tranquiliza.
 9. Poupa para a reforma começando com o teu primeiro salário.
 10. Quando se trata de chocolate, a resistência é em vão.
 11. Sela a paz com o teu passado para que ele não estrague o teu presente.
 12. Está tudo bem se os teus filhos te vêem chorar.
 13. Não compares a tua vida com a dos outros. Tu não tens ideia do que se passa na vida deles.
 14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, tu não deverias estar nele.
 15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não te preocupes, Deus nunca pisca.
 16. Respira bem fundo. Isso acalma a mente.
 17. Desfaz-te de tudo o que não é útil, bonito e prazenteiro.
 18. O que não te mata, realmente torna-te mais forte.
 19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de ti e de mais ninguém.
 20. Quando se trata de ir atrás do que tu amas na vida, não aceites NÃO como resposta.
 21. Acende velas, coloca lençóis bonitos, usa lingerie elegante. Não guardes para uma ocasião especial. Hoje é especial.
 22. Prepara-te bastante, depois deixa-te levar pela maré...
 23. Sê excêntrico agora, não esperes ficar velho para usar roxo.
 24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
 25. Ninguém é responsável pela tua felicidade além de ti.
 26. Encara cada "chamado desastre" com estas palavras: Em cinco anos,
 vai importar?
 27. Escolhe sempre a vida.
 28. Perdoa tudo a todos.
 29. O que as outras pessoas pensam de ti não é da tua conta.
 30. O tempo cura quase tudo. Dá tempo ao tempo.
 31. Independentemente se a situação é boa ou má, irá mudar.
 32. Não te leves tão a sério. Ninguém mais leva...
 33. Acredita em milagres.
 34. Deus Ama-te por causa de quem Deus é, não pelo o que tu fizeste ou
 deixaste de fazer.
 35. Não faças auditorias da tua vida. Aparece e faz o melhor dela agora.
 36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem.
 37. Os teus filhos só têm uma infância.
 38. Tudo o que realmente importa no final é que tu amaste.
 39. Vai para a rua o dia todo. Milagres estão à espera em todos os lugares.
 40. Se todos jogássemos os nossos problemas numa pilha e víssemos os  dos outros, pegaríamos os nossos de volta.
 41. Inveja é perda de tempo. Tu já tens tudo o que precisas.
 42. O melhor está para vir.
 43. Não importa como tu te sintas, levanta-te, veste-te e aparece.
 44. Produz.
 45. A vida não vem embrulhada num laço, mas ainda é um presente!!!


Por Regina Brett, 90 anos


Da net 




 

COMO VOCÊ ENCARA A VIDA E A SI MESMO???




"Dona Cacilda é uma senhora de 92 anos, miúda, e tão elegante, que todo dia às 08 da manhã ela já está toda vestida, bem penteada e discretamente maquiada, apesar de sua pouca visão.
E hoje ela se mudou para uma casa de repouso: o marido, com quem ela viveu 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra solução..
Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando a atendente veio dizer que seu quarto estava pronto. Enquanto ela manobrava o andador em direção ao elevador, dei uma descrição do seu minúsculo quartinho, inclusive das cortinas floridas que enfeitavam a janela.
Ela me interrompeu com o entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um filhote de cachorrinho.
- Ah, eu adoro essas cortinas.....
- Dona Cacilda, a senhora ainda nem viu seu quarto... Espera um pouco...
- Isto não tem nada a ver, ela respondeu, felicidade é algo que você decide por princípio. Se eu vou gostar ou não do meu quarto, não depende de como a mobília vai estar arrumada... Vai depender de como eu preparo minha expectativa. E eu já decidi que vou adorar. É uma decisão que tomo todo dia quando acordo. Sabe, eu posso passar o dia inteiro na cama, contando as dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo que não funcionam bem... Ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem.
- Simples assim?
- Nem tanto; isto é para quem tem autocontrole e exigiu de mim um certo 'treino' pelos anos a fora, mas é bom saber que ainda posso dirigir meus pensamentos e escolher, em conseqüência, os sentimentos.
Calmamente ela continuou:
- Cada dia é um presente, e enquanto meus olhos se abrirem, vou focalizar o novo dia, mas também as lembranças alegres que eu guardei para esta época da vida.A velhice é como uma conta bancária: você só retira aquilo que guardou. Então, meu conselho para você é depositar um monte de alegrias e felicidades na sua Conta de Lembranças.. E, aliás, obrigada por este seu depósito no meu Banco de lembranças. Como você vê, eu ainda continuo depositando e acredito que, por mais complexa que seja a vida, sábio é quem a simplifica...
Depois me pediu para anotar:

Como manter-se jovem:
1. Deixe fora os números que nãosão essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura.
(Deixe que os médicos se preocupem com isso.)

2. Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo.
(Lembre-se disto se for um desses depressivos!)

3. Aprenda sempre: 
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso.
'Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.'E o nome do Alemão é Alzheimer!

4. Aprecie mais as pequenas coisas

5. Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar.
E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele / ela!

6. Quando as lágrimas aparecerem: aguente, sofra e ultrapasse.
A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios.
VIVA enquanto estiver vivo.

7. Rodeie-se das coisas que ama:
Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refugio.

8. Tome cuidado com a sua saúde:
Se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhora-la , procure ajuda.

9. Não faça viagens de culpa.. Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente,
mas NÃO para onde haja culpa.

10. Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade. "




Da net

sábado, 19 de fevereiro de 2011

REFLEXÃO AOS VISITANTES DESTA PÁGINA








Quando um obstáculo surgir em seu caminho atrasando a sua tão sonhada benção
Acredite: esse não era o momento certo de alcançar o seu objetivo
Se algo atrapalhou seus planos por mais estranho que pareça foi melhor assim.
Nada acontece por acaso!
Tudo é permissão de DEUS!
O que num instante parece injusto, em outro DEUS nos mostra que tinha algo bem melhor a nossa espera
E assim as portas se abrem, as vitórias acontecem, as alegrias explodem!
Eita DEUS Fiel!
Que o Senhor Jesus abençõe você e a toda sua família!
Que a alegria deste dia invada o seulindo coração e o daqueles a quem você amairradiando luz para iluminar e fazer brilhar o mundo em que vivemos.







Da net

NO QUE A HUMANIDADE ESTÁ SE TRANSFORMANDO???






Quem colocou em nosso coração, em nossa mente, que PRECISAMOS de 'objetos' para sermos felizes?
Eles podem estar eventualmente a nosso serviço, e não o contrário.
O neoliberalismo quer que estejamos sempre CONSUMINDO, alimentando SUA MÁQUINA DE FAZER DINHEIRO.
Jogam milhares de produtos no mercado diariamente e nós pobres cegos, corremos para comer, no coxo da ambição e da ganância deles.
Essa mesma ambição que destrói nossas matas, prostitui nossas crianças, vicia, adoece e assassina nossos jovens, joga nossos velhos nos asilos, porque não produzem mais...
Em que nos transformamos?

Existe outra ambição: a de querer ser grande, o melhor, o mais competente, ganhar muito, ser PH.D. Mestre, Doutor, etc...
Mas, será que nos perguntamos como e com quem ficam nossas crianças enquanto perseguimos esses alvos? O que estão aprendendo longe de nós?
Recebendo atenção, carinho, ou aprendendo o desprezo, o desrespeito, o desamor?
O tempo, o momento presente, está escapando de nossos dedos para um hipotético 'amanhã', ou temos sensibilidade para apreciar a Natureza ao nosso redor, dar um sorriso desinteressado?

Enfim, precisamos nos perguntar em cada etapa da estrada da vida, 'o que realmente importa', para nós, enquanto seres humanos.
Somos parte pequeníssima da grande Família Humana.
Não nos deixemos coisificar.
A Vida Simples é para ser vivida.
Ela é NATURAL, não algo mais que precisamos adquirir.
O que precisamos é tirar coisas em excesso, não acrescentar.
Nascemos pelados.
Prontos para a vida, perfeitos.
Não compliquemos o Plano do Criador.



Da net

QUANDO VOCÊ PENSAR QUE A VIDA ANDA MAL...









O que é de fato significativo?



O filho que muitas vezes não limpa o quarto e fica vendo televisão,
significa que...
está em casa!

A desordem que tenho que limpar depois de uma festa,
significa que...
estivemos rodeados de familiares e amigos!

As roupas que estão apertadas,
significa que...
tenho mais do que o suficiente para comer!

O trabalho que tenho em limpar a casa,
significa que....
tenho uma casa!

As queixas que escuto acerca do governo,
significa que...
tenho liberdade de expressão!

Não encontro estacionamento,
significa que...
tenho carro!

Os gritos das crianças,
significa que...
posso ouvir!

O cansaço no final do dia,
significa que...
posso trabalhar!

O despertador que me acorda todas as manhãs,
significa que...
estou vivo!

Finalmente pela quantidade de mensagens que recebo,
significa que....
tenho amigos pensando em mim!

QUANDO VOCÊ PENSAR QUE A VIDA ANDA MAL...
LEIA OUTRA VEZ ESTA MENSAGEM!!!


Da net

O SUSSURRO DE DEUS



Conta-se que um amigo levou um índio para passear no centro de São Paulo.
Seus olhos não conseguiam acreditar na altura dos edifícios e ele mal conseguia acompanhar o ritmo frenético das pessoas indo e vindo.
Espantava-se com o barulho ensurdecedor das sirenes, dos automóveis, das pessoas falando em voz alta.

De repente, o índio falou:
- “Ouço um grilo!”
O amigo espantado retrucou:
- “Impossível ouvir um inseto tão pequeno nessa confusão!”
O índio insistiu que ouvia o cantar de um grilo. Tomando o seu cicerone pela mão, levou-o ate um canteiro de plantas. Afastando as folhas, apontou para o pequeno inseto.
- “Como?” – Perguntou o amigo, ainda sem crer.
O índio pediu-lhe algumas moedas, e então as jogou na calcada. Quando elas caíram e se ouviu o tilintar do metal, muita gente se voltou.
- “Escutei o grilo porque o meu ouvido está acostumado com este tipo de barulho. As pessoas aqui ouvem o dinheiro caindo no chão porque foram condicionados a reagirem a esse tipo de estimulo”.
Depois arrematou:
- “A gente ouve o que está acostumado ou treinado a ouvir.”




Vivemos em um mundo materialista.
A vida impõe que sejamos muitas vezes duros.
Acabamos nos tornando céticos.
A voz de Deus não é ouvida senão por aqueles que têm o ouvido sensível.
Muitas vezes a correria da vida e as agitações da nossa alma inquieta não nos permitem perceber o Divino.

Treinamos os nossos sentidos para reagir apenas aos impulsos da sobrevivência, mas há realidades que só se percebem com o espírito.
Aqueles que aquietam o coração e se deixam tocar pelo Eterno, escutam o sussurro de Deus.
Que todos consigamos, apesar do tumulto que nos cerca, escutar o sussurro de Deus. Pense nisso!


Da net

COMO ESCOLHO MEUS AMIGOS







Escolho os meus amigos não pela cor da pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila do olho.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espíritos, nem os maus de hábitos.
Fico com os que fazem de mim louca e santa.
Deles não quero respostas, quero o meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isto só sendo louco!!!
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho os meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só ombros e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim metade bobeira metade seriedade.
Não quero risos previsíveis,nem choros piedosos.
Quero amigos sérios que fazem da realidade sua fonte de
aprendizagem, e lutem para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!!!
Crianças para que não esqueçam o valor do vento no nosso rosto; e velhos para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem sou.
Pois vendo os loucos e santos, bobos e sérios crianças e velhos nunca me esquecerei de que a “normalidade”' é uma ilusão imbecil e estéril .
Gosto dos venenos os mais lentos!
As bebidas as mais fortes!
Dos cafés mais amargos!
E os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:

“E daí?!Eu adoro voar!!”



(Clarice Lispector)


Da net

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

IÇAMI TIBA




Os pais que levam o filho à igreja, não vão buscá-lo
na cadeia !!! ...

Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba, 23/07/08.

O palestrante é membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso". Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior. Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração - o primeiro nacional.
1º- lugar: Sigmund Freud;
2º- lugar: Gustav Jung;
3º- lugar: Içami Tiba.

  • 1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

    2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc...

    3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

    4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.


    5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

    6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.


    7.
    Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

    8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.


    9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.


    10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

    11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.


    12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.


    13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.


    14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.


    15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.


    16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.


    17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.


    18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).


    19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.


    20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.


    21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.


    22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.


    23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.


    24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

    25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.


    26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

 

Frase: "A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia..."

Recebido por e-mail




domingo, 23 de janeiro de 2011

SOMOS A ÚLTIMA GERAÇÃO DE FILHOS QUE OBEDECERAM A SEUS PAIS... ...E A PRIMEIRA GERAÇÃO DE PAIS QUE OBEDECEM A SEUS FILHOS?





Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos os erros de nossos pais.
E com o esforço de abolir os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos, mas, por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na história.
O grave é que estamos lidando com crianças mais "espertas", ousadas, agressivas e poderosas do que nunca.
Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ter, passamos de um extremo ao outro.
Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos.
Os últimos que tiveram medo dos pais e os primeiros que vivem sob o jugo dos filhos.
E o que é pior, os últimos que respeitaram os pais e os primeiros que aceitam que os filhos lhes faltem com o respeito.
Na medida em que o permisso substituiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudaram de forma radical, para o bem e para o mal.
Com efeito, antes se consideravam bons pais, aqueles cujos filhos se comportavam bem, obedeciam as suas ordens e os tratavam com o devido respeito.
E bons filhos, as crianças que eram formais e veneravam seus pais.
Mas, na medida em que as fronteiras hierárquicas entre nós e nossos filhos foram-se desvanecendo, hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, e, ainda que pouco, os respeitem.
E são os filhos quem, agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas idéias, seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver.
E, além disso, os patrocinem no que necessitam para tal fim!
Quer dizer, os papéis se inverteram, e agora são os pais que têm de agradar a seus filhos para ganhá-los e não o inverso, como no passado.
Isso explica o esforço que fazem tantos pais e mães para serem os melhores amigos e "tudo dar" a seus filhos.
Dizem que os extremos se atraem.
Se o autoritarismo do passado encheu os filhos de medo de seus pais, a debilidade do presente os preenche de medo e menosprezo ao nos ver tão débeis e perdidos como eles.
Os filhos precisam perceber que, durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter e de guiá-los enquanto não sabem para onde vão.
Se o autoritarismo suplanta, a permissividade sufoca.
Apenas uma atitude firme e respeitosa lhes permitirá confiar em nossa idoneidade para governar suas vidas porque vamos à frente liderando-os e não atrás, os carregando e rendidos à sua vontade.
É assim que evitaremos o afogamento das novas gerações no descontrole e tédio no qual está afundando uma sociedade que parece ir à deriva, sem parâmetros nem destino.
Os limites abrigam o indivíduo, com amor ilimitado e profundo respeito.


"Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos."
(Mônica Monasterio - Madri, Espanha)

Tirado da net